sexta-feira, 14 de julho de 2017

A Palavra MERDA


video

A palavra MERDA pode ser mesmo considerada um coringa da literatura nacional. Vamos a elas:

01) Como indicação geográfica 1:
- Onde é que fica essa MERDA???

02) Como indicação geográfica 2:
- Vá à MERDA!!!

03) Como substantivo qualificativo:
- Tu é um MERDA.

04) Como indicador de especialização profissional:
- Putz!!! Esse cara só faz MERDA!!!

05) Como questionamento dirigido:
- Ah fez MERDA, né???

06) Como indicador visual:
- Não se enxerga MERDA nenhuma.

07) Como especulação de conhecimento e surpresa:
- Mas que MERDA é essa???

08) Como indicador de admiração:
- Puta MEEERDAA!!!

09) Como auxiliar impositivo de aceleração:
- Vai rápido com essa MERDA!!!

10) Como indicador de desordem:
- Tá tudo uma MERDA!!!

11) Como classificação literária:
- Êta piadinha de MERDA!!!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Homenagem ao Dia Mundial do ROCK

 ROCK'N ROLL - DIA MUNDIAL DA LÍNGUA UNIVERSAL

"Rock and Roll can never die."  
Vale dizer o mesmo que rock é The Cure, que ele nos transforma, tornando-nos mais (Neil) Young.
Yes!!! Who, mesmo estando em Bad Company, ao curtir um clássico do Rock, não se sente novamente como um (Beach) Boys???
Para fechar todas, surgiu a Queen das FM's, um verdadeiro caso de Police, pois nos colocou de (Suzi) Quatro em frente ao rádio, deixando-nos (Sid) Vicious, virando uma (Jimmy) Page na história da vida de cada ouvinte.
Este E.L.O.* criado, foi praticamente a Genesis que deu Wings a muitos que tinham uma Public Image Limited do que fosse no Duran Duran, um exemplo de profissionais conhecedores desta arte que é o Rock.
Mesmo que eu esteja INXS, acho que U2 pensam assim.
Para toda The Band, um abraço e Kiss,
"PORQUE ROCK É ROCK MESMO" e eu sei que 
"IT'S ONLY ROCK'N ROLL, BUT I LIKE IT".

* Electric Light Orchestra
Ah!!! E Duran Duran não significa "duro" como foi colocado. Assim como ELO.

terça-feira, 11 de julho de 2017

13 fatos psicológicos que todo mundo deveria saber

1. A tua música favorita é, provavelmente, associada a um evento emocional.

A tua e a de todo mundo. (Fonte)

2. Quanto mais gastas com outras pessoas, mais feliz tu és.
O fato é de acordo com vários estudos. A ideia não é dar presentes caros, mas sim presentear mais vezes com sentido. (Fonte)

3. Gastar teu dinheiro com experiências, ao invés de coisas, te deixa mais feliz.

4. As crianças de hoje são mais tensas do que pacientes com problemas psiquiátricos em 1950.
Um fato assustador, mas nada surpreendente, não acha? Hoje em dia cerca de metade da população mundial sofre de ansiedade, depressão ou abuso de substâncias. (Fonte)

5. Certas práticas religiosas diminuem o estresse.
Estudos americanos mostram que pessoas que meditam ou rezam diariamente são menos estressadas. (Fonte)

6. Dinheiro pode sim comprar felicidade.
O dado, na verdade, é baseado na economia americana. Segundo as pesquisas, um salário mensal de US$ 6.250 é suficiente para americanos saírem da pobreza e terem tudo que precisam. (Fonte)

7. Estar com pessoas felizes te faz feliz.
Não há nada surpreendente nisso, né? (Fonte)

8. Pessoas com idade entre 18 e 33 anos são as mais estressadas do planeta.
Faculdade e começo de carreira podem ser bem estressantes. (Fonte)

9. Convencer-se de que dormistes bem é um truque para que teu cérebro acredite que isso realmente aconteceu.
Isso te dá mais energia e é chamado de “sono placebo”. (Fonte)

10. Pessoas inteligentes se subestimam e pessoas ignorantes se acham brilhantes.
Isso é chamado de Efeito Dunning-Kruger. Basta que você passe algumas horas no Facebook e terá certeza que isso é real. (Fonte)

11. Quando tu lembras um evento passado, na verdade tu estás te lembrando da última vez que se lembrou disso.
É por isso que as memórias se apagam e distorcem ao longo do tempo. (Fonte)

12. Se tu contares seus objetivos para outras pessoas, as suas chances de atingi-los serão menores.
Pesquisas desde a década de 1930 tem provado que isso é verdade. (Fonte)

13. As tuas decisões são mais racionais quando tu pensas em outra língua.
Um estudo da Universidade de Chicago mostrou que coreanos que pensavam em outras línguas estrangeiras tinham reações menos emocionais. (Fonte)



segunda-feira, 10 de julho de 2017

14 Sinais De Que Tens Inteligência Emocional

O que torna algumas pessoas mais bem-sucedidas que outras no trabalho e na vida? QI e ética são importantes, mas não é tudo. Nossa inteligência emocional - o modo como gerenciamos as emoções, tanto as nossas como as dos outros - pode ter um papel crítico para determinar nossa felicidade e nosso sucesso.
Platão disse que todo aprendizado tem uma base emocional, e talvez ele tenha razão. O modo como interagimos com nossas emoções e as regulamos tem repercussões em quase todos os aspectos de nossa vida. Para colocar em termos coloquiais, a inteligência emocional (IE) é como a "sabedoria da rua", em oposição à "sabedoria dos livros", e é responsável por grande parte da capacidade de uma pessoa de navegar com eficiência pela vida.
"Quem tem inteligência emocional geralmente é confiante, sabe trabalhar na direção de suas metas, é adaptável e flexível. Você se recupera rapidamente do estresse e é resistente", disse ao Huffington Post o psicólogo Daniel Goleman, autor de "Focus: The Hidden Driver of Excellence" [“Foco: O Motor Oculto da Excelência”]. "A vida corre muito mais suavemente se você tiver boa inteligência emocional."
Os cinco componentes da IE, como definidos por Goleman, são autoconsciência, autorregulação, motivação, habilidades sociais e empatia. Podemos ser fortes em algumas dessas áreas e deficitários em outras, mas todos temos o poder de melhorar em qualquer uma delas.
Não tem certeza de qual é seu nível de inteligência emocional? Aqui estão 14 sinais de que você tem uma IE alta.

1. Você sente curiosidade sobre pessoas que não conhece.
Você gosta de conhecer novas pessoas e naturalmente tende a fazer muitas perguntas depois de ser apresentado a alguém? Nesse caso, tem um certo grau de empatia, um dos principais componentes da IE. Pessoas altamente empáticas - as que estão extremamente sintonizadas com as necessidades e os sentimentos dos outros, e agem de uma maneira sensível a essas necessidades - têm uma coisa importante em comum: são muito curiosas sobre estranhos e se interessam genuinamente em saber mais sobre os outros.
Ter curiosidade sobre os outros também é uma maneira de cultivar a empatia. "A curiosidade expande nossa empatia quando conversamos com pessoas de fora do nosso círculo social habitual, encontrando vidas e visões de mundo muito diferentes das nossas", escreveu Roman Krznaric, autor do livro "Empathy: A Handbook For Revolution" [“Empatia: Um Manual para a Revolução”], em seu blog Greater Good.

2. Você é um ótimo líder.
Líderes excepcionais costumam ter uma coisa em comum, segundo Goleman. Além dos tradicionais requisitos para o sucesso - talento, ética profissional e ambição, por exemplo -, eles possuem um alto grau de inteligência emocional. Em sua pesquisa comparando os que se saíram extremamente bem em papéis de liderança com aqueles que eram simplesmente medianos, ele descobriu que cerca de 90% da diferença em seus perfis se devia à IE, e não à capacidade cognitiva.
"Quanto mais alta a categoria de uma pessoa considerada um ator excelente, mais capacidades de inteligência emocional apareciam como motivo de sua eficácia" escreveu Goleman na "Harvard Business Review".

3. Você conhece suas forças e suas fraquezas.
Um grande fator da autoconsciência é ser honesto consigo mesmo sobre quem você é - saber onde você se sai muito bem e onde você tem dificuldade, e aceitar essas coisas. Uma pessoa emocionalmente inteligente aprende a identificar suas áreas de força e de fraqueza e analisa como pode trabalhar com maior eficácia dentro desse quadro. Essa consciência gera a autoconfiança, que é um dos principais fatores da IE, segundo Goleman. "Se você sabe em que é realmente eficaz, pode operar a partir dessa confiança", diz ele.

4. Você sabe prestar atenção.
Você é distraído por cada tuíte, mensagem e pensamento que passa por sua cabeça? Nesse caso, isso pode estar impedindo que você funcione em seu mais alto nível de inteligência emocional. Mas a capacidade de suportar distrações e se concentrar na tarefa a ser feita é um grande segredo da inteligência emocional, diz Goleman. Sem estar presente consigo mesmo e com os outros, é difícil desenvolver autoconsciência e relacionamentos fortes. "Sua capacidade de se concentrar no trabalho que está fazendo ou na sua tarefa escolar, e deixar para ler aquela mensagem ou jogar aquele videogame quando terminar - seu nível de eficiência nesse aspecto durante a infância vem a ser um fator de previsão mais forte de seu sucesso financeiro quando adulto do que seu QI ou a riqueza de sua família", diz Goleman. "E podemos ensinar as crianças a fazer isso."

5. Quando você está chateado, sabe exatamente por quê.
Todos nós experimentamos uma série de flutuações emocionais ao longo do dia, e muitas vezes nem sequer compreendemos o que está causando uma onda de raiva ou de tristeza. Mas um aspecto importante da autoconsciência é a capacidade de reconhecer de onde vêm suas emoções e saber por que você está chateado. Autoconsciência também se trata de reconhecer as emoções quando elas brotam, em vez de identificá-las mal ou ignorá-las. Pessoas emocionalmente inteligentes recuam um passo diante das emoções, examinam o que estão sentindo e o efeito dessa emoção sobre elas.

6. Você se dá bem com a maioria das pessoas.
"Ter relacionamentos satisfatórios e eficazes - esse é um sinal [de inteligência emocional]", diz Goleman.

7. Você se importa profundamente em ser uma pessoa boa e moral.
Um aspecto da IE é nossa "identidade moral", que tem a ver com a extensão em que queremos ver a nós mesmos como pessoas éticas e cuidadosas. Se você é uma pessoa que se importa em construir esse lado de si mesma (independentemente de como você atuou em situações morais anteriores), pode ter um alto índice de IE.

8. Você se dá um tempo para desacelerar e ajudar os outros.
"Se você criar o hábito de desacelerar para prestar atenção nos outros, seja saindo ligeiramente do seu caminho para cumprimentar alguém ou ajudar uma mulher idosa no metrô, você demonstra inteligência emocional. Muitas pessoas, uma boa parte do tempo, estão completamente concentradas em si mesmas. E com frequência é porque estamos tão ocupados correndo em um estado de estressa, tentando fazer as coisas, que simplesmente não temos tempo para perceber os outros, quanto menos ajudar.
"[Existe um] espectro que vai da total autoabsorção a perceber e a sentir empatia e compaixão", disse Goleman em uma palestra TED sobre compaixão. "O simples fato é que se estivermos focados em nós mesmos, se estivermos preocupados - o que muitas vezes estamos durante o dia todo -, realmente não perceberemos totalmente o outro." Ser mais atencioso, em contraste com estar absorvido em seu mundinho, planta as sementes da compaixão - um componente crucial da IE.

9. Você é bom em ler as expressões faciais das pessoas.
Ser capaz de sentir como os outros estão se sentindo é uma parte importante de ter uma boa IE. Faça este teste da Universidade da Califórnia em Berkeley (em inglês) para descobrir sua eficiência em ler as emoções dos outros.

10. Depois de cair você se levanta rapidamente.
Como você lida com os erros e reveses diz muito sobre quem você é. Indivíduos com alta IE sabem que se há uma coisa que todos temos de fazer na vida é seguir em frente. Quando uma pessoa emocionalmente inteligente sofre um fracasso ou revés, ela é capaz de se recuperar rapidamente. Isto acontece em parte por causa da capacidade de experimentar com atenção as emoções negativas sem deixar que elas saiam do controle, o que oferece um grau mais alto de resistência.
"A pessoa resistente não fica presa às emoções negativas, mas deixa que elas fiquem lado a lado com outros sentimentos", disse Barbara Fredrickson, autora de "Positivity" [Positividade], à "Experience Life". "Por isso, ao mesmo tempo que elas estão sentindo 'estou triste por causa disso', também tendem a pensar 'mas estou grata por isto'."

11. Você é um bom juiz de caráter.
Você sempre consegue ter a sensação de quem uma pessoa é desde o início - e suas intuições raramente se enganam.

12. Você confia em seu instinto.
Uma pessoa com inteligência emocional é alguém que se sente à vontade seguindo sua intuição, diz Goleman. Se você é capaz de confiar em si mesmo e em suas emoções, não há motivo para não escutar aquela voz interior (ou aquela sensação na barriga) que lhe diz que caminho deve seguir.

13. Você sempre foi automotivado.
Você sempre foi ambicioso e trabalhador quando criança, mesmo quando não era recompensado por isso? Se você é uma pessoa atuante e motivada - e consegue focar sua atenção e sua energia para perseguir seus objetivos -, provavelmente tem um alto nível de IE.

14. Você sabe dizer não.
Autorregulação, um dos cinco componentes da inteligência emocional, significa ser capaz de se disciplinar e evitar hábitos insalubres. As pessoas dotadas de IE geralmente são bem equipadas para tolerar o estresse (um gatilho dos maus hábitos para muitas) e controlar seus impulsos, segundo Goleman.



Carolyn GregoireSenior Writer, The Huffington Post
Publicado no www.huffpostbrasil.com em 24.01.2014

segunda-feira, 26 de junho de 2017

O modo como o outro nos trata é problema dele... o modo como reagimos é problema nosso.


Ouso dizer que vivemos a “era do grito”, haja vista as farpas que se trocam, principalmente através das redes sociais.

Muitas pessoas respondem agressivamente aos posts alheios, sentindo-se protegidos pela tela do computador, como se estivessem no anonimato, tal é a violência com que se expressam virtualmente. No dia-a-dia, da mesma forma, o estresse tomou conta da maioria das pessoas, pois muitas delas vivem de cara amarrada, soltando fogo pelas ventas.

E a gente se fragiliza, sente-se mal, porque esse mal estar todo que permeia os relacionamentos interfere em nossa autoestima, em nosso respirar, em nossa essência. E a gente se machuca, fica triste, porque não vê mais gentilezas, não recebe gratidão, nem sorrisos sinceros.

Porque já temos tanta bagagem pra carregar, já criamos tantos problemas por nossa conta mesmo, que ninguém mais precisaria nos perturbar com assuntos que não são nossos.

Infelizmente, jamais teremos poder algum sobre o comportamento das pessoas à nossa volta, uma vez que ninguém parece querer poupar ninguém, hoje em dia, muito menos escolher as palavras e ponderar no tom de voz ou da escrita. O que poderemos – e deveremos – fazer é controlar a nós mesmos, tentando equilibrar nossos sentimentos enquanto vamos recebendo as porradas que teremos pela frente. Se o outro não tem freios, nosso íntimo que o freie.

Fato é que a forma como a violência e a agressividade são acolhidas determinarão o grau de sua intensidade no outro. Caso os gritos ecoem no vazio, caso os arroubos agressivos não encontrem terreno onde se instalar, a dor não vai para frente. Isso quer dizer que a maneira como nós recebemos o que nos oferecem é o que importa, pois seguramos em nós apenas o que quisermos. Não é fácil, mas será essencial ignorar aquilo de ruim e inútil que chegar até nós, com elegância e firmeza.


Embora iremos nos decepcionar com as pessoas e com o que dizem – com a maneira como dizem -, não poderemos acumular a negatividade que nos rodeia aqui dentro, ou nos tornaremos a cada dia menos fortalecidos para buscar os nossos sonhos. Teremos que lutar com o que temos, assim como deveremos deixar as pessoas se virarem com o que possuem, com a violência que carregam. Além disso, sempre haverá jardins gentis e coloridos onde poderemos repousar as nossas forças, junto a quem sabe argumentar sem agredir a ninguém.

Fonte: Revista raízes