Ganhe Bitcoins

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Não aprendi a dizer adeus

Nossa eterna incapacidade de aceitar que as despedidas fazem parte da vida.
Finalmente, dezembro vem chegando. Com ele, algum alívio, algum sossego e uma bela meia dúzia de alegrias. Mas com o fim do ano, para muitos, também chega alguma perspectiva de despedida.
Só ontem, nessa minha alegre e turbulenta vida de professora, foram duas turmas que me disseram seus adeus. Quase cem rostos, cem nomes, cem histórias, cem abraços marejando meus olhos.
Não tem jeito, não aprendi a dizer adeus.
E será que algum de nós aprendeu?
Seja por longo ou curto prazo, para longe ou para perto, para o bem ou para o mal, será que sabemos gerir e digerir despedidas?
Interessante o fato de que todos sabemos que a vida é permeada por caminhos que seguem direções opostas… E nem por isso conseguimos encarar separações como algo natural.
Eu não nasci com olhos claros. É uma realidade com a qual me conformei. Não me lamento a cada vez que me olho no espelho e vejo esses dois círculos escuros no meio do meu rosto. No Brasil não neva. E não nos chateamos a cada inverno por causa disso. Mulheres não fazem xixi em pé. E nem por isso fazemos um drama a cada vez que vamos ao banheiro.
E pessoas vão embora.
É uma realidade mais do que sabida. E aceitamos sem relutar? Sem barganhar, mendigar, suplicar? Não. Simplesmente não conseguimos admitir isso como uma verdade com a qual temos que conviver.
E nem sempre conseguimos materializar o porquê da tristeza na despedida. O porquê do nó que se instala em nossos peitos ao pensar no portão de embarque dos aeroportos ou nos veículos que, aos poucos, vamos perdendo de vista.
Às vezes é por prenúncio de saudade. Outras é por medo de perda. Outras por dependência. Apego. Posse. E muitas vezes é por mera consciência de que a vida é incerta, os caminhos independentes e o reencontro, uma mera hipótese.
Na verdade, quase sempre que não é um mero “até amanhã”, é ruim. Sobretudo com pessoas que, num dado momento, já foram o nosso “todo dia”. Pais, irmãos, amigos de escola, de faculdade, de trabalho.
Marisa Monte com seu “por isso não vá embora, por isso não me deixe nunca, nunca mais”; Bruno Mars com seu “don’t you say goodbye”; Piaf ou Jacques Brel com “ne me quitte pas”; Laura Pausini com seu “tu non lasciarmi mai”; Paralamas com seu “não me abandone jamais”. É uma angústia universal…
É um dos poucos momentos da vida em que adultos se permitem lapsos de irresignação e, sejamos sinceros, um certo egoísmo. Mas dentre tantas coisas lindas já escritas sobre despedidas por poetas e escritores célebres, na simplicidade das palavras que se tornaram célebres nas vozes de Leandro e Leonardo é possível encontrarmos a tão batalhada e necessária generosidade para lidar com as partidas.
“Não aprendi dizer adeus
Mas tenho que aceitar
Que amores vêm e vão
São aves de verão
Se tens que me deixar, que seja então feliz
Não aprendi dizer adeus
Mas deixo você ir
Sem lágrimas no olhar
Se o adeus me machucar
O inverno vai passar
E apaga a cicatriz.”
Não tem jeito. Vai ser um eterno aprendizado para todos nós. Uma eterna tentativa de entender e aceitar que os rumos da vida simplesmente não estão nas nossas mãos. Que nossos planos e vontades não têm o condão de controlar a vida daqueles que nos cercam. Por vezes, nem mesmo de controlar a nossa.
E que no fundo, talvez seja exatamente essa fluidez dos caminhos, os encontros, desencontros e reencontros que tornem a vida inevitavelmente dolorosa, mas tão encantadoramente imprevisível.
RUTH MANUS

Bunda ou Peito?



BUNDA OU PEITO? 

Você prefere bunda ou peito? 
Me perguntou assim um sujeito. 
A pergunta é bem profunda,
Respondi meio sem jeito 
Gosto da primeira e da segunda
mas por incrível que pareça, 
nem o peito e nem a bunda eu prefiro a cabeça!
Ele fez cara de desalento e me encarou por um momento 
Pra evitar mal entendido tratei de explicar meu argumento 
A bunda e o peito servem apenas de adorno 
É algo que fica somente no entorno 
E quem valoriza muito a CARNE é candidato a virar CORNO! 
Vê se não me confunda, eu disse assim ao sujeito 
Eu amo muito uma bunda, também não desfaço do peito
Mas uma mulher de respeito não ostenta a aparência 
Pois sabe bem que sua beleza se encontra em sua essência 
É esta mulher meus amigos que desvenda dilemas,
que inspira poemas e desperta o amor 
É esta mulher meus amigos que emana PODER sem PERDER o PUDOR
Pois ainda que ela envelheça, e o peito caia e a bunda desça, 
Ah se ela tem uma cabeça... nunca perde seu valor!


Esse poema foi inspirado em grandes mulheres e acho que muitos homens deveriam prestar atenção nessa mensagem.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Oito razões para você viajar o mundo por 1 ano ou mais

Quem nunca sonhou em viajar o mundo? Mas quantos já realizaram este sonho?  Depois de ter vivido essa incrível experiência, o casal criador do Projeto Projeto ViraVolta,, Carol Fernandes e Alexis Radoux, nem conseguem mais imaginar como seria a vida deles sem isso. Provavelmente você vai pensar o mesmo se você tentar.

Nossa vida está rodeada de paradigmas e sempre criamos desculpas que nos impedem de viver o sonho de viajar pelo mundo. Carol e Alexis listaram 8 ótimos argumentos para abrir os seus olhos. Se você nunca pensou nessa possibilidade, talvez você comece a pensar depois de ler isso.
Tobacco Key (Belize) - Foto: Alexis Radoux (ViraVolta)
1- PORQUE A VIDA É UMA SÓ E VIAJAR O MUNDO É MUITO EXCITANTE: todos nós queremos chegar na nossa velhice, olhar pra trás e pensar: a minha vida foi demais! Queremos uma vida excitante e com histórias para contar. A vida é uma só e se arrepender no final dela por não ter tentado é o pior que pode acontecer. Se você sempre sonhou em viajar o mundo não espere mais.

2- PORQUE VIAJAR O MUNDO PODE SER MAIS BARATO DO QUE FICAR EM CASA PAGANDO CONTAS: é isso mesmo! Ao contrário do que todos pensam não é preciso ser milionário para viajar o mundo. Em países baratos o custo médio de um viajante de longo prazo gira em torno de 700 dólares por mês. Agora faça as suas contas, você acha que consegue viver com menos que isso pagando as contas em casa?

3- PORQUE VOCÊ TEM SIM TEMPO PARA VIVER ESSA EXPERIÊNCIA: a expectativa média de vida em países desenvolvidos varia de 70 a 80 anos de vida. Agora pense, o que são 1, 2 ou 3 anos da sua vida vivendo uma aventura incrível? Talvez 3% da sua vida! Ou seja, quase nada! O que você está esperando?

4- PORQUE O MEDO JAMAIS DEVE IMPEDIR VOCÊ DE VIVER SEUS SONHOS: o medo é o que mais segura as pessoas para viver o que realmente querem na vida e quando se trata de largar tudo para viajar o mundo o medo é o maior inimigo. Eu também tive medos, mas posso garantir que depois de viver essa aventura você vai entender que o medo não faz o menor sentido. Tudo é muito mais fácil do que a gente imagina.
Sa Pa (Vietnã) - Foto: Alexis Radoux (ViraVolta)
5- PORQUE VOCÊ VAI TER A CHANCE DE APRENDER MAIS QUE EM UMA VIDA INTEIRA: sair da sua bolha para experimentar o mundo vai fazer você viver experiências incríveis e ver a vida de uma forma completamente diferente. Viajar por longo prazo é como viver 10 vidas em uma. Faz você refletir, repensar, reaprender e descobrir coisas que você nunca teria a chance em uma vida parado no mesmo lugar. Quais outras experiências na vida vão te oferecer essa oportunidade única?

6- PORQUE NUNCA É TARDE PARA VIVER UM SONHO: não existe idade certa para viver seus sonhos e nunca é tarde para fazer acontecer. Se você já passou dos 30, 40, 50 e acha que é muito tarde para viajar o mundo você está completamente enganado. Essa experiência pode ser incrível em qualquer momento da vida.

7- PORQUE SIMPLESMENTE É UMA DAS MELHORES COISAS A SE FAZER NA VIDA: imagina você sair do seu cubículo do trabalho onde você passa 10 horas por dia para desfrutar as melhores praias, conhecer os lugares mais incríveis, interagir com as diferentes culturas, experimentar culinárias excêntricas, conhecer pessoas inesquecíveis, passar meses sem despertador, não saber mais qual é o dia da semana, poder decidir onde você quer estar na hora que você quiser… Se sentir completamente livre como você nunca se sentiu antes! Precisa dizer mais o porquê essa vai ser uma das melhores coisas a se fazer na sua vida?

8- PORQUE VOLTAR DESSA EXPERIÊNCIA PODE SER MUITO MELHOR DO QUE VOCÊ IMAGINA: muitas pessoas deixam de viver esse sonho com medo da incerteza da volta. Fique tranquilo, você provavelmente vai voltar se sentindo uma pessoa melhor e mais consciente do que você quer. A sua carreira não será destruída. Depois de meses entrevistando viajantes de longo prazo, todos que voltaram para o mercado de trabalho se dizem profissionais melhores e mais auto confiantes. E quase todos voltaram em posições melhores em suas carreiras. E para quem decidiu mudar de ramo completamente, se sentem extremamente felizes. Viva o momento e não se preocupe com a volta, um novo mundo de oportunidades estará aguardando por você.

O mais difícil é decidir. Depois que você colocar na sua cabeça “vou fazer”, tudo fica mais fácil.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Vida



Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis.
Já fiz coisas por impulso.
Já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.
Já abracei pra proteger.
Já dei risada quando não podia.
Já fiz amigos eternos.
Já amei e fui amado, mas também já fui rejeitado.
Já fui amado e não soube amar.
Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, mas “quebrei a cara” muitas vezes!
Já chorei ouvindo música e vendo fotos.
Já liguei só pra escutar uma voz.
Já me apaixonei por um sorriso.
Já pensei que fosse morrer de tanta saudade e…
… tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)!
Mas sobrevivi!
E ainda vivo!
Não passo pela vida… e você também não deveria passar!
Viva!
Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve!
A vida é muito para ser insignificante!


By Augusto Branco (texto atribuído erroneamente a Charles Chaplin).